Rua Gomes de Carvalho, 1356 - 2º andar
São Paulo - SP
Avenida Carlos Gomes, 222 - 8º andar
Porto Alegre - RS
+ 55 (11) 3995-5221
+ 55 (51) 3378-1136

PR HACKS - ENGAJE!

#EraDoEngajamento

Quer mais Resultados? Conheça 7 Vantagens da Comunicação Integrada de Marketing

Pode escolher a terminologia: 360, integrada, holística ou, como adotamos muitas vezes aqui na Engaje!, omnichannel. O ponto é que os benefícios de se pensar, planejar e executar a comunicação de forma unificada, derrubando as barreiras (fictícias) entre on e off line, relacionamento e conteúdo, imprensa e publicidade, interno e externo, reputação e vendas são muitos e compensam a mudança de paradigma. Listamos 7 vantagens de se trabalhar de forma integrada, mas com certeza você mesmo poderia listar outros tantos:

AUMENTE SUAS VENDAS – sim, vamos começar atacando o velho dogma de que PR não gera retorno efetivo, apenas constrói branding e reputação. Pois bem, estudo da McKinsey sobre geração de leads e conversão de vendas apontou uma relação clara entre a consideração de marca e a venda. Ou seja, o consumidor precisa conhecer e ter confiança na marca para depois comprar – por melhores que sejam as ferramentas digitais para atraí-lo. O mesmo artigo aponta ainda que a presença da marca na imprensa e ativações de conteúdo estão entre as melhores formas de ampliar esta consideração. O ponto é que o PR (visto como relacionamento e presença na mídia) não é entendido como gerador de resultados quando analisado isoladamente. Mas, dentro de uma estrutura de comunicação integrada de marketing, em sinergia com as outras disciplinas de comunicação, ela passa sim a ser percebida como um importante propulsor para a conversão.

FOCO ÚNICO – sei que parece redundante (o foco é, ou deve ser, único). Mas quando você tem diversos fornecedores ou times atuando de forma independente e pensando apenas sua disciplina (mídias sociais, conteúdo, imprensa, influenciadores, ativações etc.) o resultado em 95% dos casos (e estou sendo generoso com os 5% restantes) é cada um andar para um lado – até para justificar sua ‘importância’ no mix de comunicação. E, então, adeus estratégia. Cada canal conta uma história diferente, tem um apelo distinto, e a imagem da marca se torna difusa, borrada. Fora de foco mesmo. E daí fica quase impossível engajar o público alvo e atingir seus objetivos comerciais.

SINERGIA – uma mesma mensagem, com seu formato adaptado ao canal (incluindo aqui o perfil de público(s) de cada meio), distribuída na ordem cronológica certa para gerar maior repercussão e ampliar seu impacto, atingindo um consumidor cada vez mais disperso. Parece um sonho? Pois, esta bem orquestrada engenharia é um dos principais frutos da comunicação integrada (do plano ao monitoramento). Já tentou executar isso com agente distinto para cada ‘tipo’ de comunicação? Boa sorte…

Outro benefício direto da sinergia é o melhor aproveitamento do orçamento de comunicação, integrando a criação de conteúdos, por exemplo, e evitando trabalhos duplicados e retrabalhos.

MONITORAMENTO INTEGRADO – medir os resultados da comunicação é base não apenas para justificar os investimentos, mas, especialmente, para identificar insights, melhores práticas e possíveis mudanças de rota. Pena que a comunicação não é uma, mas várias (será mesmo?). E cada uma com suas metas, KPIs e metodologias de mensuração distintas. A visão integrada da comunicação preconiza um monitoramento unificado, em que as métricas de cada disciplina convergem para o resultado comum: melhorar o desempenho de uma marca ou organização. Ponto.

RAPIDEZ NA MUDANÇA DE ROTA – uma das vantagens do monitoramento integrado é entender, em cada momento e para cada desafio, quais disciplinas podem contribuir mais e, consequentemente, receber mais atenção, esforço e investimento. Quando se atua com uma comunicação integrada, este tipo de estudo permite que se façam rapidamente ajustes do peso de cada especialidade, aumentando o retorno final. Infelizmente, quando a comunicação está compartimentada com diversos fornecedores (externos ou internos) cada um com seus objetivos, políticas, metodologias e, por que não dizer, egos distintos, a gestão da mudança é muito mais gestão do que mudança.

FACILIDADE DE INTERLOCUÇÃO – se num momento de bonança, de executar uma campanha para comunicar um novo produto ou serviço, a dinâmica de dialogar e alinhar diversos fornecedores já é desgastante, o que imaginar de uma situação de crise? Mais do que contar a mesma história diversas vezes, é muito provável que o cliente ainda se depare com uma guerra de ‘soluções’ desencontradas e que, muitas vezes, não têm como foco resolver o problema e sim mostrar serviço com o intuito prioritário de tentar ganhar um pedaço do orçamento em mãos de um concorrente interno.

UNIFORMIDADE – Como lembrou recentemente o amigo Ulisses Zamboni, segundo Warren Buffet leva-se 20 anos para construir a reputação de uma empresa e 5 minutos para destruí-la. Uma resposta mal colocada no Facebook ou uma frase infeliz numa entrevista facilmente se transformam numa crise de imagem. Pior ainda se os diversos canais de comunicação de uma empresa (incluindo aqui publicidade, atendimento ao consumidor, eventos etc, etc) começam a se contradizer. Ao unificar a comunicação, as empresas dão um grande e importante passo para integrar suas mensagens e obter maior retorno com a propagação das mesmas.

Como gostamos do número 7, melhor parar por aqui. Mas se você quiser continuar esta conversa e aprofundar as vantagens da comunicação integrada de marketing, nossos canais de comunicação estão abertos para você. #ValeUmCafé ?

Imagem de Rhys Asplundh via Flickr
Veja Também
Storytelling: as lições da comunicação para o time de vendas
Branded content: oportunidade para marcas frente à crise da imprensa
Como incluir mais mulheres no departamento de criação das agências?
Como quebrar a quarta parede no mundo da comunicação