Rua Gomes de Carvalho, 1356 - 2º andar
São Paulo - SP
Avenida Carlos Gomes, 222 - 8º andar
Porto Alegre - RS
+ 55 (11) 3995-5221
+ 55 (51) 3378-1136

PR HACKS - ENGAJE!

#EraDoEngajamento

Como incluir mais mulheres no departamento de criação das agências?

Na segunda parte de nossa série sobre igualdade de gênero e comunicação corporativa, entenda a importância de apostar nas mulheres em cargos criativos e faça parte do futuro da comunicação.

A igualdade de gênero é uma pauta constantemente em voga, especialmente na publicidade, que há anos vem se esforçando para diminuir o sexismo na comunicação, como fez a Skol no ano passado ao assumir o passado machista e se mostrar disposta a reinventar seus anúncios.

Mas, mesmo com tanta informação e pressão popular sobre o assunto, algumas campanhas ainda pecam neste quesito, seja por colocar a mulher em papéis degradantes ou reforçar estereótipos de gênero. Como, então, acertar no tom e fugir de polêmicas?

A saída para isso passa necessariamente por equilibrar a presença das mulheres em cargos criativos nas agências. Mais do que oferecer o olhar sob uma questão por diversos pontos de vista, o que por si só já evitaria diversas crises, ter uma equipe diversa pode aumentar a criatividade do departamento de criação.

Mesmo com tudo isso em mente, só 11% dos diretores criativos é mulher. A grande maioria das presenças femininas na agência fica restrita ao atendimento, planejamento e gestão de pessoas. Veja três dicas para virar esse jogo:

1) Dê preferência a mulheres na hora de contratar

Algumas diferenças entre portfólios femininos e masculinos se dão mais por falta de oportunidades do que de conhecimento técnico. Na hora de anunciar vagas de criação, deixe claro que dará preferência para mulheres na seleção de currículo.

2) Analise e eduque o próprio time

Antes de contratar, verifique seu departamento de criação. De nada adianta colocar uma mulher isolada na bancada com o propósito de trazer mais diversidade ao time se ainda fazem piadas e conteúdos baseados em estereótipos. A igualdade de gênero deve ser uma meta abraçada por todos para funcionar.

3) Ajude a impulsionar carreiras

Com salários menores e um acúmulo eterno de demandas em casa, não é raro que mulheres, especialmente mães, acabem desistindo de se aprimorar na carreira por não encontrarem tempo ou recursos para isso. A agência pode fornecer capacitação e treinamento para elas, além de flexibilizar horários para permitir o encaixe do estudo na rotina.

Gostou desse conteúdo? Saiba mais sobre a necessidade de fazer uma comunicação com propósito real neste outro texto.

Veja Também
4 tendências de marketing para observar em 2019
Storytelling: as lições da comunicação para o time de vendas
Branded content: oportunidade para marcas frente à crise da imprensa
Como quebrar a quarta parede no mundo da comunicação